27 de junho de 2013

Cerejeira Japonesa

Já há algum tempo que não mostro a evolução desta pequena bruta :)
 
No final do Inverno passado reduzi-lhe bastante a altura, de forma a forçar a ramificação secundária e fica em crescimento livre durante este ano. O tronco tem engrossado a um ritmo bastante elevado e não sei onde vão parar os ramos com o crecimento deste ano.
 
Fotos do monstrinho:




Só de pensar que isto já foi uma sementinha tão pequenina! Talvez para o ano já comece a dar flores na Primavera, embora eu duvide um pouco. É sempre bom sonhar!
 
No próximo ano, vou levantar o escorredor, cortar as raízes excedentes e reduzir o comprimento dos ramos para começar aos poucos a trabalhar a ramificação terciária. No entanto, nesta altura a preocupação máxima é deixar crescer de forma mais ou menos livre para lhe permitir engrossar o tronco o mais rápido possível.
 
 
Um abraço,
Gonçalo

26 de junho de 2013

Actualização Ulmeiro #1

Pouco há a dizer sobre esta árvore, a não ser que tem sido regada com força todos os dias e, à frequência de rega, tem correspondido com um crescimento bastante vigoroso.

Apesar de deixar este ulmeiro em crescimento livre, tenho removido bastantes rebentos que saem do solo, vindos directamente das raízes, pois não têm qualquer vantagem para a futura forma do bonsai.

Ficam as fotos da evolução destes meses:






Um abraço,
Gonçalo

25 de junho de 2013

Novidades das Sementeiras

Estou bastante surpreendido e entusiasmado com o ritmo com que isto aconteceu. Passou pouco mais de um mês desde que fiz as sementeiras e já tenho umas sementes pioneiras a germinar.

Para já apenas germinaram 2 espécies: 3 sementes de Pinus Mugo e 2 sementes de Pinus Thunbergii. Houve outra semente de Pinus Mugo que germinou, mas acabou por não sobreviver.



Não deixa de ser curioso que espécies de crescimento lento como os pinheiros tenham sido as primeiras sementes a germinar.

Abraço,
Gonçalo

24 de junho de 2013

Actualização Buxus#4

Aproveitei estes dias para tirar umas fotos às minhas árvores para poder actualizar aqui no blog.
 
Desde que podei e transplantei este buxus em Abril, apenas tenho regado e tenho controlado a quantidade de sol que recebe, dando o meu melhor para que recupere com força. A única coisa a apontar é que este bicho bebe água que nem um desalmado!
 
Mesmo com todo o cuidado que tenho tido, o buxus tem perdido folhas de forma constante desde o transplante, pelo que cheguei a temer o pior. No entanto, o trabalho de recuperação parece estar a dar os seus frutos e este menino está a rebentar com força, mesmo na madeira mais antiga.
 
Como não estou nada satisfeito com a forma actual da árvore, é muito importante que ela mostre esta resistência a podas mais drásticas e facilidade em rebentar, porque assim vai-me permitir ir trabalhando de forma gradual para compactar a ramificação e remover alguns ramos que são mais direitos, sem grande beleza.
 
Pelo menos até à próxima Primavera, esta árvore vai ficar apenas em recuperação, devendo apenas remover alguns rebentos em zonas que não interessem, de forma a canalizar a energia de crescimento para os rebentos que possam interessar mais no futuro.
 
Ficam as fotos:






Na terceira foto, dá para ver uma praga de insectos que atacou esta árvore. Nas novas folhas que abriram, estão imensos insectos destes, por toda a árvore. Já estou a tentar combater este problema com insecticida, antes que causem problemas sérios à árvore. Uma atrofia no crescimento nesta altura pode condicionar a recuperação da árvore.
 
 
Abraço,
Gonçalo

12 de junho de 2013

Buxus #1

Este sábado aproveitei para fazer algo que já queria fazer há bastante tempo.


Este buxus estava apenas em crescimento livre há 2 anos, numa tentativa de engrossar mais rapidamente o tronco e a base do tronco. No entanto, sendo uma espécie de crescimento lento, acabou por engrossar muito pouco nesse tempo e, para evitar estar à espera mais 10 anos, decidi tentar fazer um micro bonsai dele.

O solo apenas tinha akadama, pelo que as raízes desenvolveram de forma bastante vigorosa. 


Podei cerca de 80-90% das raízes e folhas, pelo que será um esforço de sobrevivência bastante grande.  

Acredito que a pequena vai sobreviver e daqui a um ano vou começar a definir a estrutura dos ramos com arames e poda. Um passo de cada vez é muito importante nesta altura.

Para mistura de solo usei cerca de  70% de leca e 30% de terra para plantas. Acrescentei também musgo no final para dar tentar distrair do facto de este buxus ter troncos muito finos.

Ficam as fotos do efeito final:



Um abraço! 
Gonçalo