10 de julho de 2011

Estilização da Macieira, Carvalho e Oliveira

Ontem ganhei coragem e decidi fazer algo mais que apenas regar e adubar as minhas árvores.

A Macieira tem crescido sem parar. O problema é que ela esquece-se que não pode crescer tanto em altura se não tiver (mais) ramos e um tronco forte o suficiente para a suportar.
Nos últimos tempos, sempre que há uma rajada de vento mais forte, parece uma bailarina na minha varanda. Para evitar dissabores, decidi ter uma intervenção radical como forma de tentar que ela comece a ramificar mais abaixo. Espero bem não ter sido bruto demais:

Estado inicial
Como ficou no fim

Aproveitei a embalagem e dei também uns retoques na Oliveira. Encurtei os ramos à direita de forma a que esta ramifique mais atrás. Não mexi nos ramos à esquerda. Vou deixá-los crescer livremente para engrossarem bem.

Como ficou



O Carvalho que comprei em Abril foi a árvore que mais me surpreendeu nos últimos tempos. Sem que eu percebesse sequer porquê, secaram as folhas todas que ele trazia há cerca de um mês e meio. 
Pensei que tinha morrido, mas ia-o regando na mesma (por pena) quase sempre que regava as outras plantas. A terra muitas vezes secava completamente entre as regas e pensei em deitá-lo fora duas ou três vezes...

Passadas entre 2 a 3 semanas depois de ter secado completamente, começou a rebentar. 
Claro que fiquei muito contente com a demonstração de força do pequeno e tratei logo de lhe arranjar um novo vaso, visto que as raízes já saíam pelos furos de drenagem do outro vaso.
Agora tem uma mistura de solo bastante mais drenante e está num vaso de grandes dimensões. Pretendo que ele passe os próximos 2 anos sem lhe tocar nas raízes e estou confiante que engrosse bem o tronco nesse tempo.

Tenho andado a estudar a forma dele e ontem decidi que estava na altura de pôr os conhecimentos teóricos adquiridos em prática. Fiz a minha primeira estilização com arames.
Penso que não correu mal e tive pena que ele não tenha mais ramos para estilizar  :D 

Ficam as fotos: 
Estado inicial
Depois de aramar
Pormenor do resultado

Sei que o trabalho não ficou perfeito, mas acho que não está nada mau para primeira tentativa.  
Penso que o ramo mais comprido central será para remover por completo no futuro, mas enquanto não tiver a certeza do estilo que quero dar vou esperando para ver se ele cria ramificações secundárias mais abaixo.


Deixo só o link para um dos vídeos que vi e revi antes de avançar com este processo:
Foi-me muito útil e está muito bem explicado.

Um abraço! 

9 de julho de 2011

Mais Actualizações

Os últimos meses têm sido bastante atarefados para mim e para as minhas plantas.
Algumas têm tido avanços mesmo surpreendentes.

As Macieiras mais jovens têm sido completamente atacadas por insectos e pó branco, por isso têm tido um crescimento mais lento e as folhas estão bastante afectadas.

O Acer, o Carvalho e a Nogueira, que esteve cerca de meio ano sem dar sinais de vida, têm crescido muito. A Cerejeira tem estado mais parada, mas presumo que esteja a acumular energia para rebentar com força em breve.

Macieiras


Acer Phoenix

Cerejeira

Nogueira

Carvalho
Aqui podem ver-se os rebentos novos. Ainda não decidi se vou retirar todos ou não.
Pormenor do Carvalho

8 de julho de 2011

Actualização Buxus

06.Junho.2011

Decidi mexer no Buxus mesmo fora de época, porque tal como eu previa, praticamente já nem tinha terra no vaso, mas sim raízes sujas de terra. Finalmente tirei o musgo que o buxus tinha à volta do tronco e consegui perceber a forma do nebari.
 
Visto que já tinha que lhe mexer, decidi arriscar e cortar um pouco as raízes e passei-o para um escorredor com um solo extremamente drenante - cerca de 90~95% akadama - onde vai ficar por pelo menos 2 anos de forma a acelerar o processo de engrossar o tronco.

Convém salientar que eu sabia que não devia ter feito o transplante do buxus em pleno Verão, muito menos cortar-lhe as raízes. Mas foi um risco que decidi correr.  

Depois de lhe ter mexido, ficou um mês à sombra e fui humedecendo as folhas nos dias de maior calor. Agora que está a mostrar sinais de recuperação estou a pô-lo gradualmente ao sol.

Ficam algumas fotos do processo:




Para explicar melhor, a Técnica do Escorredor + Mamadeira, consiste em pôr a nossa árvore num solo muito drenante que nos permita regar mais vezes que o normal. Este aumento da rega aliado a uma mistura adequada de solo, vai fazer com que as raízes se desenvolvam rapidamente e ao fim de algum tempo - cerca de 2, 3 meses - as raízes vão começar a sair pelos furos do escorredor.  
É aqui que entra a chamada Mamadeira que consiste num vaso com uma mistura de solo rica em nutrientes - fertilizantes naturais, etc - que se põe por baixo do escorredor assim que as raízes comecem a sair pelo fundo.

Ao entrar em contacto com a terra muito nutritiva que está na Mamadeira, as raízes começam a desenvolver muito e isto leva a que a planta desenvolva mais rapidamente que o normal, e o facto de as raízes desenvolverem ocupando o vaso na totalidade, permite engrossar o tronco da árvore de uma forma incrível. Num ano no escorredor, as árvores podem engrossar mais do que em 2 ou 3 anos num vaso normal. Atenção que depende da espécie e de muitos outros factores :)

As raízes que saem pelos furos laterais do escorredor também desempenham um papel fundamental, porque vão secar e isto faz com que a árvore produza mais raízes finas que são essenciais para a alimentação quando for transplantada para um vaso de bonsai.


Se detectarem algum erro no que eu disse, peço que me corrijam, porque não gosto de passar informação errada.

Um abraço!