8 de outubro de 2010

Relato dos últimos meses

Nos últimos tempos têm sido bastante atarefados e tive que deixar o meu hobby quase de lado.
Bom, a verdade é que, muitas vezes, o problema é mais a paciência do que outra coisa, mas as desculpas esfarrapadas vencem sempre...

A tangerineira não resistiu aos ferimentos que lhe causei. Ao menos aprendi com o erro e espero que os meus relatos sirvam para evitar que mais alguém o faça. -> ver detalhes

Quanto às minhas múltiplas tentativas para fazer brotar sementes de Acer (Palmatum e Ginalla) e Yoshino Cherry (prunus x yedoensis), tenho falhado uma após outra.
Num acto de desespero, decidi até abrir vários caroços de cereja (espécie japonesa) para ver se acelerava o processo e apenas numa obtive resultado.



Quando estava neste estado de desenvolvimento, achei que estava na altura de a plantar em terra.
Não sei o que correu mal. Esta cresceu durante pouco mais que uma semana e depois acabou por secar e morrer.

Pode ter sido de eu ter a ter ajudado a nascer mais depressa, ou então é natural acontecer... Não me vou martirizar a pensar nisso.

Esta sucessão de falhanços levou a que eu tenha 26 sementes destes três tipos de árvore no meu frigorífico em processo de estratificação. (Em breve vou introduzir uns links sobre estes processos que tenho usado. Por enquanto e muito sucintamente digo: Estratificação no Frigorífico = Simulação ao processo que as sementes passam no Inverno)

A macieira e o carvalho não podiam estar melhores, pelo menos aparentemente.
O Verão esteve quente tal como estas árvores gostam e a macieira cresceu para mais do dobro da altura que tinha, enquanto que o carvalho desenvolveu alguns dos ramos que lhe deixei e outros devem estar mortos visto não se terem desenvolvido minimamente.

Optei por não podar nenhuma das duas durante o Verão. Queria que elas se desenvolvessem livremente e vou aproveitar o Inverno para dar uma poda estrutural forte nas duas.

Deixo aqui umas imagens do estado das duas árvores no final do Verão.



Se alguém tiver uma opinião sobre como podar a macieira, por favor comente ou contacte para o meu email, porque eu não sei até que ponto posso cortar aquele ramo (ou tronco, não sei bem) onde me apetecer... Aqui explico o porquê da bifurcação do tronco.

5 de outubro de 2010

Mea culpa

 Está decidido. Vou continuar com o blogue, mas vou ser mais activo. Até ao fim de semana vou actualizar o que aconteceu nos últimos meses, como o trágico falecimento da tangerineira.

Os motivos para uma paragem destas são sempre muitos, mas a verdade é que não dá assim tanto trabalho gerir um blogue, por isso, agora que tenho a vida mais organizada, já estou à voltar a dedicar-me mais às minhas tentativas de aprofundar os meus conhecimentos sobre Bonsai.

Peço desculpa aos meus fiéis seguidores pelo tempo em que praticamente os abandonei. A partir de agora vou ser mais activo e vou começar também a pôr informação interessante que eu encontre. Para além disto, também vou começar a responder aos comentários, porque só agora dei conta de como isso é importante.

Abraço

6 de junho de 2010

Carvalho

24.janeiro.2010

Neste domingo, fui buscar este belo carvalho a um viveiro perto de viseu.
Tinha ido lá com essa intenção, mas não sabia o que ia conseguir encontrar.
Fiquei muito satisfeito com esta descoberta, porque tem um tronco muito interessante, com grande potencial para o futuro.
Não me lembro quanto custou mas foi mesmo barato e, caso eu pretenda arranjar outra espécie de árvore comum em Portugal, não vou hesitar em ir comprar a um viveiro deste género.
Ficam as fotos:

Aqui podem ver o tronco (triplo) da árvore.
Apenas agora reparei nas figurinhas que a gata está a fazer lá atrás.. Sempre a fazer de tudo para ficar famosa!


E continua!! Desta vez a brincar com o meu cunhado.
Ah, sim, e podem ver como estavam as raízes do carvalho.
 

Usei o vaso que tinha sido da macieira depois de podar as raízes. Aqui está uma foto que mostra como ficou no final.
Tive medo de a ter morto, porque eu e o meu cunhado até tivémos de serrar a raíz principal, por ter sido plantada através de um 'naco' de maneira enterrado..
Felizmente sobreviveu para contar a história. Qualquer dia ainda sou processado pelas minhas plantas.

Cicatrizante

Descobri da maneira mais difícil que, ou os brasileiros são mentirosos, ou então realmente as pastas de dentes que usamos são muito tóxicas (viva o flúor!!).
Explicando melhor, li em vários sites brasileiros que alguns ditos mestres bonsaístas usam "pasta de dentes branca" para cicatrizar cortes grandes nos ramos dos seus bonsai.
A verdade é que a minha tangerineira perdeu mais de metade das folhas e eu sem perceber porquê. Isto durou umas semanas e eu tentei fazer de tudo para que esta sobrevivesse..
Após algum tempo, todos os ramos em que eu apliquei pasta de dentes estavam secos. Mesmo que fossem apenas ramificações, todo o ramo secou até ao tronco.

Infelizmente, e mais uma vez, podemos ver que os erros são quem melhor nos ensina e pena que quem sofra com os nossos erros nem sempre sejamos nós. (lamechas, mas verdadeiro)

Agora, a pobre árvore parece estar estável, agora que está na rua todo o dia, a apanhar este calor de Verão mesmo a meio da Primavera. Espero que sobreviva.

26 de abril de 2010

Tangerineira

22.janeiro.2010

Esta tangerineira foi descoberta pela minha namorada numa ida para o trabalho, numa lojita pela qual eu não dava nada. No dia seguinte, fomos lá os dois comprá-la.
Por este motivo, eu digo que esta tangerineira é dela e não minha, mas acabo por ser eu a cuidar dela, se bem que é um excelente motivo para ela me ajudar e para eu a tentar iniciar e viciar neste meu hobby.
Quando a comprámos, ela tinha ainda uma tangerina e a dona da loja basicamente apenas me disse que é um enxerto (coisa que se nota a milhas) e que não precisa de muito sol, coisa que eu também percebi pelo sítio onde ela estava na loja, visto que raramente era posta no exterior.


Isto era o estado dela no dia em que a comprámos.
Achámos que tinha folhas e ramos a mais, pelo que passámos um bom bocado a "tosquiar" a nossa nova árvore nessa noite.











  <-- Nesta foto podem ver as raízes que não tinham mais por onde crescer dentro deste vaso. Mesmo assim, tamanha foi a poda que as folhas levaram que já estávamos com medo de matar a pobre árvore e decidimos não lhe mexer mais nesse dia.

Decidimos também deixar a tangerina para lhe dar uma mística diferente :)


Nas duas fotos abaixo podem ver o resultado final.
Admito que parece drástico, mas no dia 10.abril.2010, altura em que já tive coragem para cortar as raízes (não tenho fotos), reduzi-as a cerca de metade do tamanho que mediam, ou talvez menos, e esta apresentava botões que estão agora a rebentar com novas folhas e ramos.

Houve uma altura em que até desconfiámos que a árvore era de plástico, porque esta não dava o mínimo sinal de vida, nem quando eu a testava demorando mais tempo a regá-la para ver se as folhas reagiam..
Valeu-nos o facto de termos visto as raízes e de a minha gata ter voltado a atacar (mordeu duas folhas) e pela forma como as folhas estavam secas à volta das marcas dos dentes, via-se que era verdadeira.

17 de abril de 2010

Transplante da macieira

19.janeiro.2010

O transplante da minha macieira decorreu sem problemas. Não precisei de recorrer a máquinas para a manter ligada a este mundo nem foi uma cirurgia complicada.

Ela parece estar a gostar da nova terra e do novo vaso.
Continua aparentemente muito fraquinha, mas eu sei que aquilo é só para enganar. É mais resistente que a grande muralha da China ou, pelo menos, assim o demonstra com os seus pequenos, mas sempre firmes avanços.

Há que dizer que não consigo tirar o problema que ela aparenta ter de fungos, nem aplicando um fungicida sistémico que comprei, mas de qualquer das formas já tem cá fora três folhinhas e parece que quer continuar a avançar com um projecto que eu presumo ser o seu primeiro ramo.

De uma coisa eu tenho a certeza. Este ano será decisivo para ela.
Ou consegue ganhar força (claro que eu vou ajudando com os fertilizantes) ou então vai-se render às muitas adversidades da sua, ainda curta, vida.
Optimista como eu sou, sei que a segunda hipótese não irá acontecer. Presumo que mesmo que demore mais um ano a tornar-se aquilo a que podemos chamar de árvore, eu aposto que estamos perante mais um caso de um patinho feio, ou melhor, macieirazinha feia.
Até pode ser do meu instinto maternal, mas sei que se vai tornar num belo bonsai em poucos anos.

Penso que fui bastante bruto no corte das raízes, não em termos de força aplicada, mas sim em quantidade de raíz que cortei. No fundo, queria dar mais um trabalho à minha macieira, sabendo que se ela sobreviver a um corte assim tão grande, terá mais força à medida que as raízes se desenvolvem neste novo vaso, que é mais feio, mas bastante mais fundo, o que vai beneficiar esse crescimento das raízes na vertical e estou convencido que isso está directamente relacionado com o crescimento vertical da planta, assim como do engrossamento do tronco.

Ficam aqui as fotos do transplante:


   

Na primeira foto, podem ver as raízes emaranhadas na terra.

Na segunda foto, as raízes já limpas e com uma linha vermelha a mostrar onde fiz o corte das raízes.

Na terceira foto, o produto final, já no vaso novo.

18 de janeiro de 2010

Mais projectos

Conforme prometi, aqui vão umas fotos dos meus projectos para o futuro. Quem sabe quais deles resultarão num belo bonsai ?   :)

Peço desculpa pela (fraca) qualidade das fotos, mas tive de usar a webcam.

Na primeira foto podemos ver a minha sementeira.
Neste momento, tem 6 sementes de tangerineira e 6 sementes de cerejeira japonesa (prunus x yedoensis). Ambas passaram um dia submersas antes de as plantar em terra. Ainda tenho mais 4 de cerejeira no frigorífico à espera da altura certa.
Já chegaram, também, as sementes de acer palmatum que encomendei. Neste momento estão 4 delas dentro de água e amanhã 2 vão para o frigorífico e 2 vão ser plantadas aqui.
Nas partes mais claras ainda não plantei nada.

Na segunda foto podemos ver as minhas primeiras tentativas por estaca. O pinheiro já teve raízes, mas mesmo estando em cima de um armário, a minha gata subiu e atirou-o ao chão. No processo de replantar, acabei por partir as raízes por serem muito finas e eu não ter dado conta do que eram. Pode ser que voltem a crescer.
As de oliveira sou capaz de não aproveitar, porque ontem consegui cortar umas estacas com muito mais personalidade e que podem dar bonsais muito bons.

Na terceira foto podemos ver as novas estacas de oliveira que apanhei (cortei), mas como foi de uns ramos que tinham sido podados e eu não sei há quanto tempo, ainda não sei se vão pegar. De qualquer das formas, como as oliveiras são muito boas a pegar de estaca, estou confiante e já as envasei depois de cortar uns excessos.







11 de janeiro de 2010

Macieira

Esta é a minha macieira e foi plantada por volta de 23.Maio.09

Plantada a partir de uma semente, num copinho de iogurte com algodão juntamente com o caroço onde vinha, por achar que o caroço tem alguns nutrientes que podem ser importantes para o desenvolvimento desta. Não sei se estou certo ou não, mas resultou bem.

Deixei o copinho sempre com o algodão bastante húmido na marquise e, como calhou ser numa altura de bastante calor, aquilo parecia uma estufa quase todas as manhãs. Isso levou a que não tardasse sair da semente e a desenvolver um pouco.

Comprei então uma taça de bambu que gostei bastante, mas por não ser propriamente um vaso, tive de fazer 4 furos em baixo. Com cascalho tapei os furos.

Quanto à terra, usei uma mistura de akadama que comprei no iberbonsai, uma argila japonesa teoricamente muito boa, areia e terra adubada normal para plantas.

Como complementos, uso o biobonsai e o fertilbonsai, que comprei no site luso-bonsai.

Pelo final do Verão foi atacada por uns insectos (desconfio que eram pulgões) e por um pó branco que ouvi dizer ser um fungo que aparece com excesso de água. Infelizmente ainda não o consegui eliminar na totalidade, mas também ainda não fiz nada a não ser limpar as regiões afectadas.

De resto, falta só dizer que é uma macieira de guerra, principalmente porque a minha gata gosta de a podar... já lhe arrancou bocados de tronco, folhas, terra, etc.

Noutra ocasião, já caíu ao chão duma altura considerável e ficou com o vaso por cima, o que lhe partiu umas folhas e danificou um pouco o tronco.

Numa noite de princípio de inverno deixei-a na rua, sem querer, e foi uma desgraça. Caiu geada com força e foi a morte do que restava das folhas dela.
Como se não bastasse isso tudo, ela até estava a conseguir rebentar de novo por cima da ferida do tronco e a minha gata decidiu apanhá-la logo após eu ter posto um arame para endireitar o tronco e cortou-lhe o rebento.

Mais azar não podia ter, mas pode ser que ao menos ela consiga rebentar com mais força na primavera. Até agora provou ser um exemplo de resistência!

Com 4 meses















Com 9 meses. Pode-se ver o rebento que a gata decidiu podar
e, um pouco mais abaixo, a ferida no tronco
                  

















8 de janeiro de 2010

Porquê este blog?

Pouca coisa sei sobre a nobre arte de criar uma árvore numa bandeja.

Tal como a minha macieira é um pré-bonsai, considero-me um pré-aprendiz dessa arte.

O principal que aprendi nas inúmeras horas de pesquisa pelas internetes é que uma das ferramentas mais importantes que podemos adquirir enquanto bonsaístas é o contacto com pessoas mais experientes e que já cometeram inúmeros erros que podemos evitar e ainda aprendi que a maior parte da informação que se encontra sobre bonsai, principalmente sobre macieiras bonsai está em brasileiro (nada contra isso, mas gosto de ver os portugueses a trabalhar também) e já tem vários anos.

Acho que uma pessoa como eu, que não tem todo o tempo do mundo para dedicar aos seus bonsai e não tem muito espaço em casa para ter infinitas ferramentas e bonsai de todas as espécies e feitios, pode ser um apoio diferente para iniciantes, por ir actualizando aquilo que está a acontecer às minhas primeiras tentativas de bonsai (quase) em tempo  real.
Como tal, quero partilhar aqui as minhas experiências sobre a minha macieira, ir actualizando futuras tentativas e receber conselhos/conhecer outras experiências sobre esta bela arte.

Espero, sinceramente que este blog seja útil para alguém, quanto mais não seja, para mim mesmo.